Lays Ramires - 17 de Agosto


17 de Agosto de 2021


Na noite de hoje demos início ao treinamento já focando nos pés. Ao empurrar os pés contra a parede, sentados sobre os ísquios, ativamos a coluna e passamos a trabalhar alongamento, respiração, abertura de espaço, torção, fortalecimento, condicionamento e expansão. O corpo, quanto mais ativado e trabalhado, melhor responde aos estímulos e rapidamente começa a apresentar pequenas, porém notórias evoluções. Após uma longa sequência no plano baixo, fomos conduzidos a trabalhar com o apoio dos braços e mãos, dispostos agora em pé. A parede foi nossa fonte de apoio e equilíbrio durante toda a atividade. A todo momento éramos lembrados pelo diretor de usá-la a nosso favor, seja como apoio ou como ponto de força opositora.


Na sequência, a parede foi usada como referência de apoio da projeção vocal. Assim, foi dado início ao segundo bloco de trabalho da noite: a utilização da voz cantada e a instrumentalização. O preparador musical Giovanni Bonfim fez uma série de apontamentos e correções acerca da afinação de alguns atores e vícios de outros. Frisou a importância da objetividade na sequência melódica, em marcações mais diretas, observando curvas desnecessárias e prolongamentos exagerados.


As quatro canções inicialmente inseridas na peça foram trabalhadas incluindo percussão, sequências de violoncelo, caixinha, ovinho e violão.


Também foram testados alguns objetos cênicos, como o trem.